16 abril 2009

RECORD STORE DAY


A imagem acima define bem o que acontece nesse momento na Europa e nos Estados Unidos com as lojas de discos. Nessa foto o rapaz tenta afastar o "fantasma da morte" na porta da Rough Trade, a mais importante loja independente da Inglaterra.
E lembrar que dez anos atrás quando eu entrava na Rough Trade tinha fila de pessoas pra serem atendidas. A loja vivia lotada e todos procuravam as raridades em remixes e edições limitadas oferecidas pela Rough Trade. Às vezes passava um tempão só olhando as novidades expostas na pequena vitrine, pra depois entrar naquele mundo mágico, que mais parecia a "fantástica fábrica de chocolate" só que nesse caso o doce era o vinil e os cds. A Rough trade resistiu à crise, abriu outra loja maior em Brick Lane, lá em Londres e incentiva como ninguém a industria dos independentes.
Neste sábado dia 18 de abril acontece um evento único, o Record Store Day, que foi criado por um grupo de empresários independentes americanos no ano passado e daí definiram que a cada ano, todo segundo sábado de abril será realizado o Record Store Day. Mas qual a razão desse evento? É simples, apenas uma iniciativa pra incentivar o mercado independente não só nos EUA e na Europa, mas contaminar o resto do mundo a criar eventos nas lojas de discos nesse dia. As gravadoras independentes lançam edições limitadas e especiais sómente para esse dia. Esse ano o meu objeto do desejo são os dois split singles da Matador com o Sonic Youth. Serão sómente 500 cópias de cada 7 polegadas em vinil, distribuidos entre as lojinhas independentes e vendidos só nesse sábado. Será uma disputa a tapas pelos fãs pra conseguirem uma cópia, vale aquele que chegar mais cedo na loja.

Voltando à crise das lojas de discos, o jornal New Musical Express publicou uma matéria essa semana sobre o assunto, dizendo que mais de 500 lojas de discos fecharam suas portas na Inglaterra nos últimos dois anos. Hoje o download gratuito é uma realidade em qualquer lugar do mundo. Esse comodismo de se fazer tudo em casa, tirou o consumidor das lojas de discos, o objeto físico do vinil ou do cd virou peça de colecionadores e fanáticos pelos formatos. A nova geração já não se preocupa mais em ter cds ou vinis, pra que? se ele pode baixar tudo, colocar no seu Ipod e sair ouvindo tudo que voce possa imaginar. Infelizmente o mundo caminhou pra isso e acho que não existe volta. É importante uma iniciativa dessas como o Record Store Day, pra que o discos não acabem se tornando simplesmente peças de museu.

23 comentários:

lucmes disse...

Sempre comprei bastante discos, no entanto devido ao meu poder aquisitivo, não era suificiente para atender a minha curiosidade à infinidade de musica que existe. FELIZMENTE com a internet, hoje tenho acesso a toudo que antes eu nem imaginava em ter. Agora se sobrar uns tostões, compraria umas edições especiais em vinil, coisa e tal.

Charles disse...

Sou um viciado em música, mas a exemplo do colega meu poder aqusitivo nunca foi suficiente para atender a minha insaciável demanda. Com a possibilidade do download a coisa mudou bastante, porém quando baixo discos incríveis e raros fico sonhando como seria estar segurando a capinha com aquele cheirinho de novo, ver as fotos, o encarte etc. Ainda hoje continuo reservando uma parte do orçamento para comprar os cd's que baixo e que considero mais. Nos tempos das minhas vacas gordas (decada de 90) comprava em torno de 30 cd's por mes. Hoje esse número caiu para 5 no máximo, escolhidos a dedo e de de acordo com o preço. Fazer o quê? A gente tem que se adaptar aos novos tempos, que bom seria que a indústria fonográfica também se adaptasse. Sera que são tão burros quanto parecem??

Anônimo disse...

Kid, que boa noticia! Estou indo pra Londres hoje a noite e vou madrugar no sabado na RT!!!

abraço

Marcos

fabiopires disse...

Salve o Record Store Day !!Que atitudes como essas ajudem as lojas à não falir como está acontecendo aqui no Brasil também...

On The Rocks disse...

vida longa ao record store day!

Lesma de sofá disse...

Oi Kid, (é claro que vc não lembra, mas editei a bio do Ozzy- estive na Brasil2000 e gravei com vc, editei o livro do Satã e a Bio do Ultrage ano passado).Tô querendo muito te entrevistar pra uma revista de novas tecnologias no mercado fonográfico (produção e execução).
Me manda teus telefones por email, por favor!!
lainegomes@terra.com.br

Daniel disse...

O mais triste é essa nova geração baixar álbuns e mais álbuns e mais álbuns e muitas vezes nem sequer saber como é a capa do álbum que estão ouvindo.

Anônimo disse...

mp3 tb já era! spotify.com!! :)

Anônimo disse...

Kid,

acabei de voltar da RT.
Comprei 16 vinis 7" e alguns CDs tb.
Comprei copias extras das edicoes do SY, quer comprar? rssss

kid vinil disse...

falando sério, quero sim,os compactos do SY, meu email
kidvinil@terra.com.br

Anônimo disse...

As capas dos discos também estão diponíveis na web é só procurar. Quem se liga em som também pega.

Daydreaming disse...

Se até na Inglaterra as lojas estão fechando, é porque a coisa está feia mesmo...lamentável...

Rodrigo Fernandes disse...

Infelizmente?

André Vinicius disse...

Hey Kid,

queria te mandar um email. vc pode escrever pra mim?

Abraço.

Forward Russia Boy
HAHAH

kid vinil disse...

oi andré
meu email
kidvinil@terra.com.br

kid vinil disse...

hey! cade vc anonimo que disse que conseguiu mais de um compacto do sonic youth, eu quero!!!!

Anônimo disse...

Eu ainda quero acreditar que, pessoas que realmente gostam de música, continuam comprando seus CDs, Vinis, DVDs, Blu Rays, etc. Música em MP3, não tem a mesma qualidade que um CD, Vinil e afins, por mais que você baixe ou grave numa qualidade alta. Tenho o meu iPOD por uma mera comodidade : baixo alguns podcasts (o do Kid, por exemplo) e algumas músicas em MP3 mas, apenas para ouvir e, em seguida, correr atrás do formato original. Ah, CD e DVD aqui é caro ? Importe, sai bem mais barato que um CD nacional.

Borracha

Anônimo disse...

Ah, teve um mala que comentou algo sobre o fechamento da Virgin na Times Square ! Só que, a anta, deve conhecer tão bem NY que se esqueceu que existem Virgins maiores por lá. E, pra que se preocupar com a Virgin se NY tem uma das melhores lojas do mundo, a Other Music ?!?!?

Borracha

Giovani Iemini disse...

hei, kid, publiquei um pulp de literatura em que o personagem é um mantador de bandidos em brasília. gostaria de te enviar um exemplar.
se quiser, me mande um endereço com cep para maobranca@gmail.com

será um prazer.

[]s

Guija Matías disse...

Kid, o P. Albanese e seu JOELHO DE PORCO tocarão na Virada Cultural em São Paulo. Isso não merece um texto, meu caro?

Anônimo disse...

Kid, um pedido : pode dar uma divulgada em bandas Brasileiras que fazem ou farão "alguma diferença"Tô perdido ! Ouvi Relespublica e achei legal, ouvi um tal de Bazar Não Sei o Quê e achei mais legal ainda... Mas, não vejo estes caras na mídia !

Borracha/Bolacha/Eraser/La Cucaracha

Patricia disse...

Record Store Day incorporado à agenda!

Essa cultura do vinil precisa ser mantida.
Beijos Kid!
Saudades!

Anônimo disse...

Moro em Pelotas e lembro que há uns 7 anos atrás eu ainda dependia da loja de discos Zé Carioca. Ficava um mês inteiro juntando grana para comprar um vinil usado. E o dono da loja sempre dizendo "Isso é relíquia, magrão! Não posso fazer por menos!" Se não fosse o Mp3 eu não teria, hoje, acesso a coisas maravilhosas como Curtis Maifield, The Kinks, a discografia dos Beach Boys, além de coisas novas, como The Killers e Arcade Fire.
É claro que estou sendo individualista. A história do disco virtual - mp3, ogg, flac - está realmente desestabilizando a indústria fonográfica e eu não sei onde isso vai dar.
Em contrapartida realizei meu sonho de ter os discos que eu desejar.

Leo Alves