02 julho 2008

O disco ao vivo que eu tanto esperava

1972 foi um ano muito especial na minha vida, lá pelos meus 17 anos de idade tive o primeiro contato com a música do T Rex e David Bowie através de um programa da Rádio Excelsior de SP. O locutor naquela epoca era o Antonio Celso e todo sábado à noite ele apresentava um programa de novidades do rock. Numa daquelas noites chovia muito, uma tempestade fortissima, com trovões e raios, eu me abriguei dentro de um velho fusca do meu irmão e liguei na Excelsior pra ouvir as novidades. Justamente naquela tempestuosa noite ele lançava em primeira mão "Ziggy Stardust" do Bowie e "The Slider" do T Rex. Lembro de suas palavras descrevendo os dois personagens, Bowie ele dizia que era aquele ser vindo de outra galáxia (o homem que caiu na terra, lembra do filme?) e Marc Bolan um bruxo, místico e andrógino. Foi uma das noites mais marcantes da minha vida, ao mesmo tempo que morria de medo que um raio atingisse o fusquinha, não queria desligar o rádio pra não perder nenhuma música. Ainda viviamos a era do rádio, era o único meio de conhecer as novidades do rock.
Nessa epoca os discos ao vivo tinham uma importancia muito grande no contexto do rock and roll. Minha lista dos cinco melhores discos ao vivo de todos os tempos poderia ser:

Lou Reed - Rock and Roll Animal - (1974)
Slade - Slade Alive - (1972)
The Rolling Stones - Get Yer Ya Ya´s Out! - (1970)
Mott The Hoople - Live - (1974)
Yes - Yessongs - (1973)

No Museu do Disco (loja de Lps importados) chegavam os chamados "bootlegs" que eram Lps não oficiais de gravações ao vivo. Tenho vários bootlegs de David Bowie, mas o "Live In Santa Monica" de 1972 eu nunca consegui uma cópia. Com o aparecimento do cd surgiram algumas cópias pelo mundo, até mesmo uma remasterizada em 1994. Eu esperava mesmo era uma cópia oficial e decente desse que pode ser considerado o "cálice sagrado" dos bootlegs.
Finalmente esta semana meu sonho se realizou e acaba de ser lançada oficialmente a gravação desse show em Santa Monica (EUA) em 1972.
Nesse ano Bowie excursionava pelos Estados Unidos lançando "Ziggy Stardust" o disco que o lançava para o superestrelato. São dezoito faixas incluindo duas covers, uma do Velvet Underground " Waiting for The Man" e outra de Jacques Brel "My Death".
E não faltam clássicos como, "Ziggy Stardust", "Changes", "Space Oddity" e "Jean Genie", entre outras. O show termina brilhantemente com "Rock and Roll Suicide".
A banda Spiders from Mars foi a melhor backing band que Bowie já teve, guitarristas como Mick Ronson são raros nos dias de hoje. As versões das músicas são rústicas e pesadas, ninguém fazia questão de fazer arranjos identicos aos originais, ao vivo era outra coisa. Tá aí a diferença entre os discos ao vivo da decada de 70, principalmente, e as gravações ao vivo que são feitas nos dias de hoje. Elas pecam pela falta de criatividade, as bandas se preocupam muito mais em reproduzir ao vivo o que foi feito em estúdio do que improvisar. Esse é o diferencial que fez da decada de 70 a melhor epoca dos discos ao vivo. Na minha opinião a maioria dos clássicos gravados ao vivo estão na decada de 70, pode conferir.
Muito fã de Bowie poderá me questionar a razão pela qual eu escolhi esse disco ao vivo em especial. Poderia ser o 'David Live" de 74 ou o "Stage" de 78, que também são grandes discos, mas na minha opinião nada supera essa primeira fase do Bowie, onde os clássicos eram:

- The Man Who Sold The World - 1970
- Hunky Dory - 1971
- Space Oddity - 1972
- Ziggy Stardust -1972
- Alladin Sane - 1973
- Pin Ups - 1973
- Diamond Dogs - 1974

Ok, tem a fase Low,Heroes etc, etc, Bowie é maravilhoso em qualquer epoca.
Detalhe, naquela minha lista lá em cima dos melhores discos ao vivo de todos os tempos o "Live Santa Monica 72" agora fica lado a lado com "Rock and Roll Animal".
Se quiser conhecer outros bootlegs dessa excursão de 1972, visite o blog abaixo:
http://davidbowiealivereview.blogspot.com/


9 comentários:

Anônimo disse...

Por um acaso, o tal fusca é o famoso carrinho comentando pelo Clemente dos Inocentes no Botinada ?

;-)


Borracha

Pedro Carvalho disse...

Excelente post!
Matenho uma ressalva a fazer: o Bowie dos anos 80, com terno de ombreira e aquela tecladeira não chega a ser exatamente maravilhoso, vai?

kid vinil disse...

Oi Pedro, vou discordar de você, pois em 1980 o Bowie lançou a obra prima "Scary Monsters", em 83 e 84 sua fase mais comercial de "Let´s Dance" e "Tonight", q eu adoro, com ou sem ombreiras. Tá certo a primeira fase como eu disse é imbatível, mas para um fã como eu sou, tudo q ele fez tem seu valor, com certeza cada um tem seu peso, abs

antonio jr disse...

parabéns pelo seu blog na 91rock. Muito legal a nova proposta do site e do seu blog. Nao sabia que tinha aqui no blogspot também.

fabiopires disse...

Kid, meu caro.Eu tenho esse remaster que foi lançado do show de santa Mônica, é excelente mesmo cara.Talvez um dos melhores shows de Bowie em toda sua carreira...

wilson disse...

Oi sir A.C. Senefonte! Saudades cara!
Descobri seu blog através de dica do walter.
Quanto a seus discos preferidos, o Lou Reed você me emprestou e tenho a fita até hoje. Já o Yesssongs espero que não esteja com saudades, mas se quiser te empresto. Foi um ótimo negócio que fizemos, lembra?
Sem saudosismos, precisamos nos encontrar.
Parabéns pelo blog. Lendo, mesmo sem conhecer 99% dos caras atuais, você passa aquela maravilhosa gana de conhecer tudo que acontece no mundo do rock.

Abração

Wilson

kid vinil disse...

puxa vida! Wilson q saudades, meu manda seu email pra gente se falar.
E vc pensa q eu não comprei todos aqueles vinis novamente, principalmente o Yessongs com aquela capa maravilhosa do Roger Dean e aquele livro de fotos, tenho tudo do Yes em vinil e CD.
Espero q vc leia esta resposta e me mande seus contatos, qq coisa mande pro meu email kidvinil@terra.com.br, abs

Anônimo disse...

disco ao vivo?: MC5, kick ou the jams!
abraço,
Renato, BH

marcosomag disse...

O Yesshows é bem melhor que o Yessongs. Bem mais pesado.