08 maio 2008

The Triffids - "tesouro australiano da década de 80"

A década de 80 foi repleta de surpresas, infelizes aqueles que a chamam de "década perdida" eu daria o nome de "década dos tesouros perdidos e neglicenciados ".
Duas bandas australianas poderiam encabeçar essa lista, The Go-Betweens e The Triffids.
Mais uma vez graças aos geniais arquivistas e pesquisadores da gravadora Domino na Inglaterra, os títulos mais importantes da obra do Triffids são reeditados.
A genial banda australiana foi fundada pelos irmãos David McComb escrevendo e fazendo os vocais e Robert tocando guitarra e violino. Em 83 com sua formação completa lançaram o primeiro álbum "Treeless Plain" (capa acima), fortemente influenciado por Velvet Underground e country/folk. Esse primeiro disco recebeu uma reedição maravilhosa pela Domino em abril deste ano incluindo várias faixas bonus.

1986 foi o auge da criatividade do The Triffids com o lançamento do álbum "Born Sandy Devotional", lembro que esse disco saiu em vinil aqui no Brasil nessa época, pouca gente se ligou na importância dessa banda. A reedição em CD, aliás mais um belo trabalho da Domino, inclui faixas bonus e um sensacional booklet, numa edição bem parecida com os relançamentos especiais do Pavement "Slanted & Echanted", "Crooked Rain Crooked Rain" e Wowee Zowee".
Tirando todo esse luxo de apresentação o mais importante sem dúvida são as 10 faixas originais do disco, digamos que é um daqueles trabalhos atemporais, pra se ouvir a qualquer momento em qualquer época, pois sempre parecerá atual. Os arranjos são impecáveis e a poesia de David McComb fala sobre a misteriosa e majestosa Austrália. A paisagem da capa já sugere esse conteúdo. Se eu fosse eleger o melhor álbum dos Triffids com certeza seria esse.

Depois do requinte de "Born Sandy Devotional" a banda optou por fazer um disco com um menor orçamento e apelar para simplicidade e lançaram "In The Pines" (capa acima). Mais uma vez conseguiram grandes resultados, apesar do disco ter sido gravado apenas em oito canais, o bom repertório do álbum é o que importa. A banda precisava nessa época do suporte de uma grande gravadora e foi o que aconteceu em 1987 quando assinaram com a Island Records.
Dessa parceria nasceu "Calenture", segundo os fãs o álbum mais inspirado e apaixonado do Triffids. Nesse álbum a gente sente cada vez mais na voz de David McComb a influência de Leonard Cohen e Nick Cave.
O nome "Calenture" vem de um chamado delírio que afeta os marinheiros tropicais, onde eles veem o mar como campos verdejantes.
O disco foi mais uma vez brilhantemente produzido por Gil Norton, que na mesma época produziu "Ocean Rain" do Echo & The Bunnymen e mais tarde ficou famoso produzindo os discos do Pixies.
Nessa reedição a Domino Records caprichou e lançou em CD duplo, incluindo não somente o álbum, mas as demos que geraram o disco. Alguns dizem que as gravações em demo são melhores que o resultado final cheio de "overdubs" e baterias eletrônicas, mas nada disso apagou o brilho de "Calenture", que pode ser considerado o segundo melhor disco dos Triffids.
Diante dos baixos resultados em vendas de "Calenture" a banda decide em 1989 chamar Stephen Street outro produtor experiente e lança "The Black Swan" (capa abaixo), mas infelizmente o sucesso comercial não aconteceu e a banda decide terminar. E não foi por falta de divulgação na mídia, pois na década de 80 o The Triffids chegou até a ser capa do New Musical Express, mas mesmo assim a banda não obteve o sucesso desejado. David McComb ainda participou da banda Blackeyd Susans, e em 1994 partiu pra carreira solo, que infelizmente foi interrompida com sua morte em 1999 depois de um acidente de carro.
Hoje eu estava até pensando, num ano tão cheio de novidades eu ainda encontro espaço pra enlouquecer com relançamentos espetaculares como esses dos Trfiifds, aliás falando em obscuridades de 70 e 80 vale ainda mencionar bandas maravilhosas como Microdisney, The Go-Betweens,Big Star, Felt, The Sound, The Replacements, The Saints, Comsat Angels, X, The Vaselines etc, essas fazem parte uma uma lista interminável das bandas neglicenciadas. Quem sabe um dia revistas como Mojo, Record Collector ou Uncut não façam um especial sobre elas, não seria uma boa idéia?

12 comentários:

RODRIGO FLÁVIO disse...

grande banda realmente o triffids......conheci através do vinil de calenture...sem falar que essas edições com bonus são ótimas....
já que vc falou sobre os anos 80, tem uma banda que eu adoro que é o the fleshtones, que debutou em 82 com o sensacional roman gods....eles atravessaram os anos 80,90 e seguem firmes até hoje, com o recém lançado take a good look....vale a pena conferir...

Marco Stecz disse...

Fantástico Triffids... grande matéria. Estava por coincidência ouvindo nesse instante o álbum "Love of will" solo do David McComb, maravilhoso. O abuso de drogas e bebidas levou o músico a um transplante de coração, e mesmo assim, ele continuou pegando pesado com tudo isso, o que o levou a ter problemas de rejeição. O acidente de carro apenas acelerou a sua morte eminente. Fatos como esse fazem-me lembrar também de Adrian Borland (The Sound), que cometeu suicido em 1999, e que nos deixou os maravilhosos álbuns do The Sound, outra grande banda. Abração.

Charles disse...

O Calenture é umálbum maravilhoso, infelizmente só o conheci no ano passado, mas logo trtei de posta-lo.
http://rockformasses.blogspot.com. Tem também oito músicas que vazaram do novo disco do Weezer, o Red Album. Um Abraço

Felipe disse...

Realmente, Kid, seria maravilhoso!
Imagina o Big Star na capa da Mojo? Bom, isso é sonhar muito alto...
Vc falou em Replacements, saiu outro dia uma edição luxuosa remasterizada do "Let it Be", sensacional!

Anônimo disse...

Nem sabia que Adrian Bordland havia cometido suicídio. Comprei um vinil do The Citizens em 90 (e presumo que seja o único que chegou a ser lançado no Brasil)e curti Bastante. Quanto ao Triffids, conheço-os desde os anos 80, quando, numa pequena loja de vinis da cidade onde nasci, apareceu o álbum "Calenture", o qual adquiri, e desde essa época já sei que se trata de uma banca singular. Ano passado finalmente consegui baixar "Born Sandy Devotional", o qual supriu as minhas expectativas. Alguém conhece algum blog que tenha disponibilizado os outros 3 álbuns p/ download?
Hélio

Anônimo disse...

Fala Kid !

Tudo bem ?

Cara, estava eu dando uma volta aqui em Strasbourg e, resolví dar um pulo na FNAC. Sabe que eu encontrei todas as reedições em formato luxo ? O preço até que não estava tão salgado.

Ouví o novo do Spiritualized e o novo do Tindersticks. Tindersticks preciso ouvir com calma, não bateu. Spiritualized é fantastico.

Juízo aí no Brasil.

Borracha

Anônimo disse...

Kid,

Me diz uma coisa : Fanfarlo ficou só na promessa de um álbum ? Faz um bom tempo, mais de um ano, que escuto dizer que lancarão um álbum e nada. Vasculhei umas coletâneas em casa (yep, de volta ao Brasil) e descobrí coisas deles de dois anos atrás.

Uma pena, a banda promete !

Vampire Weekend, peguei bode e deixei o CD de lado. Ví o show em NY, achei legal, mais puxado para o punk mas, todo mundo falando demais...

...inclusive o Chatildo Ribeiro.

Então é isso.


Abs.

Borracha

Anônimo disse...

Kid, posso dar uma sugest�o pro pr�ximo post ? Escreva algo sobre o �lbum novo do Spiritualized.


Borracha

Gilberto disse...

Escreve mais Kid! Texto de quem realmente conhece do assunto é outra coisa.

Pedro disse...

Tenho uma dúvida quanto à lista - muito interessante e pertinente, aliás - de bandas do anos 80 que elenca: julgo que Big Star remonta à década anterior, talvez até ao começo desta. Bem, bom trabalho e até breve...

Joao disse...

ainda daquela região, mais precisamente, descobri ha pouco tempo os "The Gordons", que foram há pouco tempo atrás mencionados pelo Steve Albini. mais uma banda que se ficou pelos anos 80....
abraço

Rogerio disse...

Buenas Kid, gostei das dicas de bandas oitentistas que não decolaram, tem outra banda muito bacana que é o THE TEMPEST, se não estou enganado, banda australiana também. O única faixa que conheci foi ALWAYS THE SAME.
um abraço