07 abril 2008

The Brian Jonestown Massacre

São poucos os artistas que conseguem dar a volta por cima em suas carreiras, Anton Newcombe do Brian Jonestown Massacre é um deles.
Tive contato com a banda na decada de 90 e aos poucos fui me tornando um grande fã do trabalho dos caras.
O nome sempre me intrigou, Brian Jones ele tirou do falecido gênio dos Rolling Stones na decada de 60, e fez um trocadilho sangrento com o Massacre acontecido em Jonestown nas Guianas, sobre aquele suicídio em massa no ano de 1978.
Anton Newcombe sempre fez questão de deixar bem claro que não era um cara normal desde sua devoção por gente como Jim Jones e Charles Manson.
Por falar em fanatismos ele com certeza era um devoto dos Rolling Stones, tanto que seu terceiro álbum leva o título de "Their Stanic Majesties Second Request", um disco influenciado por Beatles, Donovan,Byrds,Dylan, Tropicalia, Spacemen 3 e claro os Stones.
A fama de Anton também nunca foi das melhores, isso pode-se constatar naquele excelente filme/ documentário "Dig!" lançado há alguns anos atrás, que mostra a trajetória pro estrelato do Dandy Warhols e a trágica carreira do Brian Jonestown Massacre.
Confesso que o filme não me fez muito bem, pois eu adoro o trabalho do Brian Jonestown Massacre e até então não sabia de sua fama ou má reputação que o filme retrata. Sua banda quase bateu o recorde nas mudanças de formação. Sua relação com os músicos é mostrada no filme de forma chocante, quando ele sai na porrada com eles em pleno palco.
A partir do documentário "Dig!" fiquei decepcionado com Anton Newcombe, passei a considerá-lo um "loser" pois o filme passa essa impressão. De certa forma mostra o Dandy Warhols como os bons meninos que conseguiram chegar ao estrelato com um bom contrato numa grande gravadora. Mas hoje eu me pergunto, de que vale tudo isso? Cadê o Dandy Warhols? Tá certo que eles fizeram bons discos, mas ficaram aprisionados nas regras de uma grande gravadora e o futuro deles ninguém sabe.
Contrário a tudo isso Anton continuou na sua trajetória errante, mas não desistiu e depois de um fracassado EP em 2005 chamado "We Are the Radio" ele está de volta, pra minha surpresa, com a obra prima de 2008.
Gravado durante esses últimos quatro anos Anton Newcombe fez uma parte em Liverpool e outra em Reykjavik na Islandia. Uma coisa fica bem clara em tudo isso, é que Anton nunca se preocupou com o estrelato ou em ganhar dinheiro fazendo discos, tanto que de uns anos pra cá montou seu próprio selo, por onde está lançando o álbum "My Bloody Underground".
Que titulo fantástico esse, né? Isso mesmo, como se fosse uma homenagem a duas das maiores e mais influentes bandas de todos os tempos, My Bloody Valentine e Velvet Underground.
Acho que não vou ouvir coisa melhor do que esse disco no ano de 2008, trata-se de uma obra prima onde se destilam influências desde Byrds aos Rolling Stones passando por 13th Floor Elevators, Jesus and Mary Chain e My Bloody Valentine.
A música "Just Like Kicking Jesus" é uma das melhores que ouvi até agora, e "Bring Me The Head Of Paul McCartney On Heather Mill´s Wooden Peg (Dropping Bombs On The White House)", é um dos melhores e mais contundentes títulos de música.
Tem uma canção no disco chamada "We Are The Niggers Of The World" que Anton escreveu quando tinha 9 anos, provavelmente inspirado em "Woman is The Nigger Of The World" do clássico álbum de John Lennon no incio da decada de 70 "Sometime in New York City".
Mas, imaginem um garoto de 9 anos escrevendo algo assim, depois disso alguém tem alguma dúvida que Anton Newcombe é mais um gênio da música pop?
Bem, só me resta fazer uma adaptação de uma passagem bíblica:
"Bem aventurados os malditos, marginais e drogados, pois deles é o reino dos céus, ou melhor bem-vindos ao inferno de Anton Newcombe e o Brian Jonestown Massacre"




6 comentários:

claudio disse...

adoro o massacre!
kid, estou com um podcast novo, acho que você vai curtir. vou deixar o link aqui pra você escutar!
http://tanque.mypodcast.com/

Karate Inferno disse...

Brian Jonestown Massacre é uma das minhas bandas favoritas!! Acabei ouvindo nos bons tempos do Kid na Brasil 2000.
Strung Out in Heaven é o meu disco favorito deles (ou dele)....

A última coisas que tinha ouvido era o EP "We are the radio", valeu pela indicação do novo disco!

cervantes disse...

kid blz? oq vc acha do disco dos stones "their satanic majesties request" muitos achavam que não passava de uma cópia do "sgt.peppers" eu não penso assim,e pelo jeito os caras do Brian jonestown massacre tb não.

kid vinil disse...

oi
realmente their stanic... dos stones é um classico, na epoca muita gente dizia que eles queriam copiar os beatles em sgt peppers, mas eu nunca achei isso, musicalmente os discos representam marcos da psicodelia, abs

reislander disse...

fala...kid.!
heheeh
fui ver o perfil deles no myspace...e achei muito engraçado um lance.
eles pedem pras bandas NÃO pedirem pra eles ouvirem seus sons...
heheheh
.
.
abraxxx.

esquizofrenia disse...

Eles não são legais, mas banda tem que ser boa, não tem que ser legal. Esse é o disco do ano até o momento. Kid, voltei com meu blog, tô postando uns dois discos por dia em média. (Gilberto Custódio)