02 janeiro 2008

O Melhor dos Veteranos em 2007

O mundo não está tão moderno assim como a gente pensa, pois de certa forma alguns dos melhores discos de 2007 foram feitos por veteranos sem preocupação nenhuma com a modernidade.
Abaixo os 10 melhores discos de veteranos feitos em 2007, a lista abre com o meu favorito, o álbum de Robert Wyatt, o ex Soft Machine nos anos 60.
Aliás, vale lembrar que todos os discos do Soft Machine foram relançados em 2007 com faixas bonus, indispensáveis pra quem quer conhecer melhor a fase psicodélica dos primeiros álbuns com Robert Wyatt, além da fase jazz rock da banda.
Aos 62 anos de idade o ex baterista do Soft Machine é um belo exemplo de que pra se fazer boa música a idade não conta e nem mesmo as condições fisicas. Robert Wyatt sofreu um acidente no inicio dos anos 70, caindo da janela de um prédio durante uma festa e teve suas pernas paralizadas. Hoje ele vive numa cadeira de rodas, mas isso não impediu sua inquietação musical. Depois do acidente gravou aquele que é considerado seu melhor álbum solo "Rock Bottom" em 1974, em seguida outro clássico "Ruth is Stranger than Richard" (1975). A partir daí uma série de grandes discos em carreira solo, culminando com este "Comicopera" de 2007.
Um disco que mistura tendências e músicos de vários países, mais uma vez auxiliado pelo genial Brian Eno e pelo guitarrista Phil Manzanera ( concidentemente dois ex-Roxy Music).
Tem também convidados mais jovens como Paul Weller e pra minha surpresa a voz doce e maravilhosa da brasileira Monica Vasconcelos.
Agora um parênteses para falar de Monica Vasconcelos, essa menina é de Recife e vive em Londres há quase 15 anos. Eu a conheci há uns 8 anos atrás quando lancei o primeiro disco dela gravado em Londres.
Monica é uma perola ainda não descoberta pela grande mídia ( são as injustiças da vida), quem sabe agora, depois dos vocais no disco de Robert Wyatt a mídia passe a prestar mais atenção nela.
E, voltando ao disco de Robert Wyatt vale ainda lembrar que o álbum saiu pela Domino, a gravadora mais "cool" dos ultimos tempos, pois da mesma forma que descobre Franz Ferdinand, Arctic Monkeys e nosso Bonde do Role, contrata um gênio como Robert Wyatt e lança um dos melhores discos de sua carreira.


Saindo de Robert Wyatt, mas ainda na geração ex-Soft Machine encontramos Kevin Ayers que foi um dos membros fundadores da banda tocando baixo.
Sua carreira solo começa em 69, mas Kevin também tocou com gente importante do rock progressivo como Mike Oldfield e Steve Hillage.
O nome desse novo disco é "The Unfairground", uma mistura de folk e psicodelia, acompanhado por amigos muito especiais como, Teenage Fanclub, Euros Child e uma das revelações do pop ingles, a cantora Candie Payne.


Claro que nessa lista não poderia faltar o novo do Neil Young "Chrome Dreams II", o titulo se refere a um suposto primeiro "Chrome Dreams" que sairia no final da decada de 70, mas que Neil Young desistiu de lançá-lo, depois de mostrar pra cantora Carole King que ao ouvir disse que não passava de um disco de "demos".
Mal sabia ela que até as demo tapes de Neil Young são boas, esse cara nunca erra, depois do politico "Living With War" no ano passado, Neil Young volta a suas raízes de albuns clássicos como "Harvest", "After the Gold Rush","Tonight´s The Night" e "This Note is For You".
Dizer que Neil Young se repete a cada disco nesse caso pode soar como um elogio, pois seu estilo jamais vai cansar os fãs, e sempre vai soar como novidade.

O disco abaixo com certeza vai desagradar ou já decepcionou milhares de fãs do Led Zeppelin.
Não esperem nessa parceria de Robert Plant e a cantora de bluegrass Alison Krauss, um disco de rock and roll. Nada disso, o que temos aqui é um sensacional álbum de country music e baladas arrasadoras. O dueto de Robert e Alison é perfeito, apesar de parecer uma parceria nada convencional.


The Boss está de volta, dessa vez com a fabulosa E Street Band que o acompanhou por muito tempo. Pode não ser o melhor disco de Bruce Springsteen, mas mantém o nível e a qualidade de seu trabalho. "Magic" foi o segundo disco de 2007 pela escolha da revista Rolling Stone americana.




"Stardom Road" é o primeiro álbum de Marc Almond depois do acidente de moto quase fatal que ele sofreu em 2004. Nesse disco de regravações e sómente uma inédita "Redeem Me", Marc resgata também nos arranjos seus momentos mágicos do Soft Cell e revive canções clássicas como "I Close My Eyes And Count To Ten" de Dusty Springfield, num dueto com Sarah Cracknell do Saint Etienne. Tem também duo com Antony Hegarth ( Antony & The Johnsons) em "Ballad of The Sad Young Men". Os teclados ficaram por conta do genial Jools Holland.
Outro grande momento desse disco é a re-interpretação de " The London Boys" de David Bowie.




Nessa lista também não pode faltar o ex-Beatle Sir Paul McCartney, que acerta mais uma, fazendo um disco simples e objetivo, como aqueles que ele fazia no inicio dos anos 70 com sua falecida esposa Linda McCartney. Não espere nenhum clássico como "Ram", "Wild Life" ou "Band on The Run", mas assim como Neil Young, Paul é uma fonte inesgotável de boa música, e daí vem aquela pergunta "Quem precisa de um novo disco de Paul McCartney?", a resposta é simples, "nós Beatlemaníacos!"




O próximo da lista é um cara genial porém esquecido pela mídia, Ian Hunter.
Ele fez parte de uma das mais incríveis bandas do glam rock britanico, o Mott The Hoople, depois teve uma brilhante carreira solo.
Infelizmente hoje ele só é lembrado por causa de David Bowie e da música "All The Young Dudes", sucesso do Mott the Hoople em 1972.
Sempre fui um fã de Ian Hunter, tenho tudo do Mott The Hoople, mesmo sem ele, e tudo que Ian fez em carreira solo.
Esse novo disco "Shrunken Heads", tem a marca registrada das baladas matadoras de Ian Hunter e suas origens glam.

Pra encerrar essa lista dos dez melhores dos veteranos, duas mulheres que jamais me decepcionaram, a primeira é Joni Mitchell, canadense como Neil Young, essa mulher me cativou em 1971 com o seu álbum clássico "Blue". Daí pra frente só disco bom, ela estava sem gravar desde 2002 quando ela lançou o espetacular "Travelogue". Na epoca declarou à Rolling Stone americana que estava encerrando sua carreira, pois não aguentava mais a indústria do disco. Contrariando tudo isso ela volta em 2007 de forma independente com "Shine", um disco calmo, um mantra dentro da sutileza de uma Joni Mitchell.

Por falar em vozes sutis e envolventes encontramos mais uma nessa lista, a americana Tori Amos, que por coincidencia é influenciada por Joni Mitchell e Kate Bush.
Não tão veterana assim como os acima citados, mas de muita importancia, sua carreira começa divinamente em 1992 com o álbum " Little Eartquakes", e chega agora ao seu nono disco de estúdio "American Doll Posse". Assim como Joni Mitchell uma mulher inteligentíssima que em 23 faixas retrata a politica americana e discute o papel e a condição da mulher nesse contexto.


E a lista não para por aí, ainda temos:
PATTI SMITH - TWELVE
RAY DAVIES - WORKING MAN´S CAFE
DAVE DAVIES - FRACTURED MINDS
BRIAN FERRY - DYLANESQUE
STOOGES - THE WEIRDNESS
NICK LOWE - AT MY AGE
JOHN FOGERTY - REVIVAL
STEVE EARLE - WASHINGTON SQUARE SERENADE
Se lembrarem de outros, por favor completem a minha lista.







5 comentários:

Gilberto Custodio disse...

Oi Kid, um amigo lembrou do Grinderman e teve tbm The Fall novo e o projeto Von Sudenfed.

Alexandre disse...

Caraca ! Legal a lista e, puta que los pario, estes downloads vao direto pro meu iPobre... Kid, pelamordedeus, PodCast urgente. Ah, feliz 2008 :-) sucesso.

Borracha from Fortaleza (ARGH)

Katacultura disse...

Kid,
lista sansacional! como colecionador de tudo do paul e do neil young, fã de ian hunter e do bruce, tenho de confessar algo: o cd do plant com a alison krauss é fantástico(foi o que mais me emocionou de todos da lista).
Dá uma olhada neste blog:
http://kokoro-datamp3.blogspot.com
Abração
Rogério

themusicilike disse...

Ótima lista, Kid, lembrei de alguns que acho merecem ser mencionados:
1.Richard Thompson - Sweet Warrior, um dos melhores discos do ex-Fairport Convention;
2.Les Rita Mitsouko - Variéty (infelizmente o último da banda após a morte de Fred Chinchin)
3.Cowboy Junkies - At The End Of Paths Taken
4.Mary Weiss - Dangerous Games, a volta da ex-Shangri-la's, com repertório sensacional e voz ainda impecável.
5.The Smithereens - Meet the Smithereens - quem mais para recriar o disco original dos Beatles na íntegra e se sair bem?
6.The Waterboys - Book of Lightning

abraços!
Carlos

Tarsis disse...

Kid, sensacional a lista. Adorei esses álbuns de Tori Amos e Marc Almond. Agora já que falamos em veteranos tenho um pequeno link aqui para ti que deve provocar boas risadas e grandes lembranças dos anos 80:

http://youtube.com/watch?v=qmrvvTRyjb0&feature=related

Abraço!