03 junho 2007

SHELLAC

SHELLAC - "Excellent Italian Greyhound"











Antes de começar a falar do Shellac é importante contar um pouco da importância de seu líder, o guitarrista e produtor Steve Albini.

Na minha opinião um dos genios do rock da decada de 90, Steve é um daqueles caras que dificilmente erram em suas produções. Ele começou em Chicago na decada de 80 e ficou conhecido primeiramente graças a cultuada banda Big Black que fez apenas dois álbuns que se tornaram clássicos "Atomizer" (1986) e "Songs about Fucking"(1987).

Em 1988 com o final do Big Black Steve Albini começa uma carreira de sucesso também como produtor, um seus primeiros clássicos produzidos foi "Surfer Rosa" dos Pixies, depois Breeders,Supechunk e o clássico "In Utero" do Nirvana em 1993.

O nome Steve Albini acabou se tornando uma marca de qualidade e algumas bandas inglesas o procuraram na decada de 90 para produzirem seus álbuns, dentre eles o Wedding Present, Auteurs e PJ Harvey. Mas nem sempre o nome Steve Albini ajudava tanto assim, tudo dependia é claro da banda, como foi o caso dos britanicos do Bush no álbum "Razorblade Suitcase"(1996). Na verdade Steve Albini é um grande produtor, mas não faz milagres.

Voltando à carreira de Albini, depois do Big Black ele lança uma outra banda o Rapeman. que gravou apenas um álbum "Two Nuns and a Pack Mule" (1989).
Em 1992 monta o trio Shellac com o baterista Todd Trainer e o baixista Bob Weston e lançam em 1994 o álbum "At Action Park", em 97 "The Futurist", e em 98 "Terraform".
Daí a banda dá um tempo de tres anos e meio e lança o sensacional "1000 Hurts"(2000).
Sete anos depois Steve Albini está de volta com o Shellac e este novo álbum "Excellent Italian Greyhound".
Interessante é que parece que a banda nunca parou, pois a obra de Albini continua mais atual do que nunca. Nesse novo trabalho a gente encontra ecos de seus trabalhos anteriores (Big Black e Rapeman) e a marca registrada Steve Albini. Sim, aquele quase minimalismo sonoro que ele soube tão bem administrar em "Surfer Rosa" dos Pixies. O disco é repleto daqueles espaços para explorar a sonoridade do instumento, como na faixa de abertura "The End of Radio", que abre com um ritimo de bateria e em seguida a guitarra de Albini sózinha em alguns riffs. Isso é um estilo muito pessoal dele, eu costumava chamar de fazer a música "respirar". Isso fica bem claro mais uma vez em "Surfer Rosa" dos Pixies, as linhas de baixo guitarra e vocal se alternavam e a música de repente explodia.
A música do Shellac é assim marcante, consistente e desesperadamente pesada quando deve ser.
Stever Albini é um mestre desse genero que não tem classificação, é nada mais nada menos que puro rock and roll.
Assim como "1000 Hurts" de 2000, esse novo disco do Shellac tem duas versões CD e LP.
O vinil com capa especial, aliás são duas capas, a primeira é uma ilustração desenhada à mão por um artista plástico amigo de Steve Albini e a segunda aquela colorida com o cachorro (vide acima).
Junto com a edição em vinil vem também um cd encartado, melhor, pois nesse caso não é preciso comprar as duas edições.
São nove faixas do mais crú e inteligente rock feito em 2007, dificilmente alguém vai lançar disco melhor que esse, ainda este ano.
Pra ouvir um um pouco de Shellac entre na página deles no myspace:
http://www.myspace.com/shellacofnorthamerica

Um comentário:

.laranja disse...

mmm..


parece bom mesmo.
procurarei pra ouvir!

não conhecia teu blog. voltarei mais vezes.

ps.:quando volta a beagá??