12 junho 2007

GALLOWS

Gallows é no momento na Inglaterra a banda punk hardcore mais aclamada dos últimos anos.
Há tempos que não aparecia uma banda com a atitude de um Clash ou Sex Pistols, foi isso que declarou a revista Kerrang há alguns meses atrás quando os colocou na capa de uma de suas edições.
Mas não é só nas revistas especializadas em rock pesado que o Gallows aparece, eles também conquistaram o público indie britânico e o álbum "Orchestra of Wolves" levou nota nove do NME.
Apesar de não ser um disco tão inédito assim "Orchestra of Wolves" foi lançado primeiramente em setembro do ano passado por um selo independente em edição limitada que esgotou rápidamente.
O Gallows então passou a excursionar no circuito indie e quanhou mais credibilidade com esse público e crítica, e acabou chamando atenção de uma grande gravadora a WEA, que decidiu reeditar neste mês "Orchestra of Wolves" com uma nova capa e um cd bonus com algumas faixas inéditas e uma cover da maior influência do Gallows a banda punk californiana dos anos 80, Black Flag . A música escolhida do Black Flag foi "Nervous Breakdown".
Uma das caracteristicas do Gallows é a voz do vocalista Frank Carter, ninguém consegue gritar mais alto e agudo do que ele. Tem gente que acha que ele não chega ao segundo disco se continuar gritando desse jeito desesperado.
Órfãos de At The Drive-in, Minor Threat,Rocket from The Crypt e Murder City Devils, com certeza vão gostar do som do Gallows, pois faltava essa atitude no novo rock britânico.
Pra ouvir o Gallows entre no myspace:
http://www.myspace.com/gallows
Tem também uma session deles pra ouvir no site da xfm, no link abaixo:
http://www.xfm.co.uk/Article.asp?b=reviews&id=415368

7 comentários:

Vern disse...

Achei péssimo! Não vejo muito mérito nessa gritaria toda. Os ingleses gostam de lançar "bandas que vão abalar as estruturas do rock" toda semana. Perdoe-me se já escreveu aqui sobre o assunto e me passou despercebido, mas você gosta de Guillemots?

kid vinil disse...

bem, gosto não se discute, sempre me amarrei em punk e hardcore e estou aberto às novas bandas.
Mas, ainda bem que os ingleses elegem uma banda nova a cada semana, por essa razão o rock ingles continua na ativa.
Guillemots foi meu disco de 2006, na minha postagem de dezembro.

JOSE LUIZ disse...

Essa renovação do rock inglês, é importante, porque sempre aparecem bandas novas e gostar ou não, vai do gosto de cada um.Ouvi uma banda escocesa nova, chamada BUTCHER BOY,e achei sensacional.Vc já ouviu?

Vern disse...

Concordo com vc, Kid. Eu não sou muito chegado em punk e hardcore. Mas, a meu ver, Guillemots é outra história. Eu sempre fico um pouco resistente diante de coisas "novas" como Arctic Monkeys, Klaxons e Kaiser Chiefs, sabe? Simplesmente porque a maioria das bandas são variações do mesmo tema, coisa de modinha hype que se esvai com o tempo. São poucos os que têm a sensibilidade e o talento para fazer algo realmente bom, que tenha profundidade, frescor e soe original. Não que o hype seja ruim, mas não toca lá no fundo, talvez justamente por estar mais vinculado a um momento. Guillemots parece comprometido com algo mais profundo, e talvez por isso mesmo não seja tão efêmero. Suas músicas falam de coisas que não têm lugar no tempo, coisas universais. Guillemots é, de longe, a melhor coisa que apareceu na música nos últimos anos. E eu não faço uma afirmação desse tipo desde que ouvi o primeiro cd do Arcade Fire.

Daniel Lopes disse...

Cara,adorei achar teu blog, adoro tuas dicas.

rock on!

Alexandre disse...

Kid, pra minha infelicidade, to indo pra New Jersey novamente, final do mês. Bom, acho que consigo escapar pra New York, nada certo ainda. QQ coisa escreve, se quiser algo de lá. To querendo ir pra Other Music de novo.

Bo"la"cha.

Roberto disse...

Sensacional mesmo, achar o blog do lendário Kid Vinil! Quanto ao Gallows, também não gostei muito. Gosto mais de Hardcore melódico, do tipo do NOFX ou Pennywise. E ainda há outras bandas de punk rock europeias pouco conhecidas por aqui, que fazem sons maravilhosos, como o Ska-P, o Punkreas e o Derozer. Sou mais eles, acho que com 44 anos, já passei um tanto da idade de gostar de sons tão barulhentos.