31 maio 2007

Compactos de Vinil

WHITE STRIPES

Semana que vem no semanário ingles New Musical Express sai um compacto de 7" polegadas vermelho, com uma música nova do White Stripes.
Geralmente o NME oferece cds em algumas de suas edições, o último foi uma coletânea com bandas canadenses.
A última vez que o NME encartou um compacto de vinil foi no final da decada de 90, era um single do Paul Weller.
Como os compactos de vinil continuam em alta e acabam virando raridades esse do White Stripes com certeza será mais uma delas, agora só me resta lutar para conseguir uma cópia.
Quem sabe o jornal não chegue aqui com o compacto, vamos esperar....

CANSEI DE SER SEXY - "LET´S MAKE LOVE AND LISTEN TO DEATH FROM ABOVE"












A febre dos compactos de vinil está cada vez mais ousada na Inglaterra, e os nossos CSS são os felizardos das últimas semanas. Além de Lovefoxxx na capa da NME, sairam dois vinis impagáveis na reedição do single "Let´s Make Love...." . Um 12" polegadas de vinil amarelo com tres remixes, um feito pelo Simian Mobile Disco, outro pelos caras do Hot Chip e o terceiro por Calvin Harris, isso que é moral!

O segundo vinil do CSS é esse da foto acima, um 8" polegadas quadrado em vinil vermelho cujo lado B é uma session da BBC para "Pretend We´re Dead" (hit dos anos 90 da banda americana L7).

A capa dos vinis foi desenhada e criada pela Lovefoxxx e tem detalhes com letras vazadas, simplesmente um luxo!!! (como diria o saudoso Ataide Patrezzi)
BONDE DO ROLÊ








A segunda rodada de vinis vem com os curitibanos do Bonde do Rolê que como todo mundo já sabe também estão com a bola toda na Inglaterra. Pra começar assinaram com o selo Domino (Franz Ferdinand e Arctic Monkeys entre outros).

Semana passada sairam esses dois 7" polegadas coloridos da divertidíssima "Office Boy" (foto acima).

Semana que vem sai o CD e LP de estréia do Bonde do Rolê na Inglaterra e a crítica britânica considera o grupo uma das coisas mais divertidas e dançantes depois daquele disco da MIA.
JUPITER MAÇÃ & CRAZY LEGS










E não é só lá na Inglaterra que se faz vinis de 7" polegadas, aqui no Brasil apesar de existir apenas uma fábrica de vinil no Rio de Janeiro, algumas bandas ainda lançam edições limitadas em vinil.

A gravadora Monstro Records de Goiânia lançou entre outros compactos esse do Jupiter Maçã todo colorido, no lado A "Beatle George" e no lado B "Scotch and Coffee at Regent Street".

O trio de rockabilly Crazy Legs também lançou esse compacto vermelhinho de 7" com quatro músicas.

São jóias raras pra quem se liga no vinil.














29 maio 2007

DUAS CAIXAS OBRIGATÓRIAS DO FOLK BRITÂNICO


PENTANGLE
"The Time Has Gone"
1967-1973
FAIRPORT CONVENTION
"Live At The BBC"
Numa epoca em que os Cds custam tão caro pra nós aqui no Brasil, acontece o contrário no mercado lá fora, as gravadoras não param de lançar e reeditar coisas importantes do passado.
Infelizmente a maioria da população brasileira não tem poder aquisitivo pra ficar comprado cds a preços exorbitantes praticados pelas nossas gravadoras.
A mídia por sua vez aproveita essa crise pra anunciar a morte do cd, uma coisa absurda em países com poder aquisitivo. Na Inglaterra por exemplo os cds continuam vendendo e muito bem, segundo estatisticas as vendas não só de cds mas de singles cresceram assustadoramente nos últimos dois anos. Tanto que os ingleses ainda consomem bastante os chamados compactos de 7 polegadas que viraram uma febre pra essa nova geração de bandas.
Enquanto isso no Brasil todos só pensam em fazer matérias falando do fim do cd. Isso é claro vira um incentivo à pirataria em geral e desencoraja o jovem que comprava pelo menos um cd por mês a não comprar mais nada e simplesmente baixar músicas pro seu Ipod.
A verdade é que perdemos a sensibilidade para o produto "físico" ou seja o disco em qualquer formato.
Alguns colecionadores doentes como no meu caso ainda cultuam esse saudosismo do formato, e claro haja grana pra tanto lançamento.
Mas é prazeiroso receber uma caixa dessas acima citadas, com quatro cds, booklet ilustrado e uma apresentação gráfica espetacular.
Mas não é apenas o formato que me atrai e sim o conteúdo, pois estou falando de duas das maiores bandas de folk britânico, o Pentangle e o Fairport Convention.
O Pentangle começou por volta de 1967 tendo em seu núcleo dois dos mais importantes guitarristas do british folk, Bert Jansch e John Renbourn. A vocalista Jacqui McShee tem uma das vozes mais incríveis para as cantoras do genero.
A banda tinha toda uma sonoridade acústica e sofria influencias até de jazz em seus improvisos.
Só no início da decada de 70 é que o Pentangle passou a usar guitarras elétricas em seus discos e shows.
Os quatro primeiros álbuns do Pentangle são essenciais:
Sweet Child - 1968
The Pentangle - 1968
Basket of Light - 1969
Cruel Sister - 1970
A banda terminou em 1973 e Bert Jansh e alguns outros componentes partiram para projetos em carreira solo. No inicio da decada de 80 retornaram com a formação original e continuaram ainda nos anos noventa.
Essa caixa recém lançada "The Time Has Gone" traz quatro cds e não se trata simplesmente de uma coletanea da obra do Pentangle, mas uma mistura de raridades e faixas inéditas e algumas sessions da BBC, além de gravações ao vivo.
Ilustrando acompanha um belissimo livro de 56 páginas com fotos e contando a história da banda.
A segunda caixa em questão é a do Fairport Convention ao vivo na BBC, tem também quatro cds e vem naquele formato de livro onde se encaixam os cds e ao abrir a gente encontra um livreto ilustrado.
As gravações datam de 1967 a 1974, que foi a fase áurea do Fairport Convention.
Formado em 1967 o Fairport Convention é considerado o mais importante grupo do folk britânico graças a seus cultuados integrantes, como a vocalista Sandy Denny e os guitarristas
Richard Thompson e Ian Mathews, mas não é só isso a banda tinha uma quimica muito especial entre todos os seus músicos.
Os cinco primeiros álbuns são peças clássicas do british folk e obrigatórias pra quem gosta do genero:
Fairport Convention - 1968
What We Did In Our Holidays - 1969
Unhalfbricking - 1969
Liege & Lief - 1969
Full House - 1970
O Fairport Convention continua na ativa até os dias de hoje e com uma discografia imensa, isso sem falar na carreira solo de seus integrantes.
Uma boa lembrança que eu tenho do Fairport é que Stephen Malkmus ex-Pavement é um grande fã da banda e quando ele esteve se apresentando aqui em SP, tive a oportunidade de entrevistá-lo na rádio e ele comentou de sua paixão pela banda e nos bastidores antes do show ficamos falando sobre o Fairport Convention. Qual não foi minha surpresa quando na metade do show ele me oferece uma música do Fairport Convention, eu quase morri de emoção.
Bem, voltando à caixa ela é obrigatória pra qualquer fã da banda, pois as sessions da BBC além de históricas tem uma qualidade perfeita de gravação.

28 maio 2007

SPOON - GA GA GA GA GA

O Spoon é uma banda de Austin no Texas e lançará no dia 10 de julho seu novo cd "Ga Ga Ga Ga Ga" pelo selo americano Merge Records. Este será o sétimo disco da banda que começou em 1996 pelo selo Matador com o album "Telephono".
O Spoon começou sua carreira fortemente influenciados por nomes da decada de 80 como Elvis Costello, Gang of Four e Wire.
Quando o Spoon começou em 95 em seus primeiros shows a critica também os comparava ao Pixies e a banda tambérm sofria bastante influencia do Sonic Youth.
Com o passar do tempo o Spoon acabou criando sua própria identidade sonora. Depois de assinarem com o selo Merge em 2001 o Spoon lançou seus melhores álbuns "Girls Can Tell" (2001), "Kill The Moonlight" (2002) e "Gimme Fiction (2005).
Esse novo cd pode ser considerado o mais pop e bem arranjado da carreira do Spoon. Canções como "The Underdog" misturam metais e harmonias inspiradas em Steely Dan e Beatles.
A música que abre o CD "Don´t Make a Target", comprova as influencias Elvis Costello & The Attractions.
"Ga Ga Ga Ga Ga" é um disco à beira daquele pop perfeito criado na decada de 80 pelo Prefab Sprout, The Associates e Style Council.

21 maio 2007

Mouse on Mars+Mark E Smith(The Fall)=Von Sudenfed

Sim, esse é o novo projeto do genial duo alemão Mouse on Mars com a colaboração de Mark E Smith do não menos genial The Fall.
Esse encontro só poderia resultar em coisa boa, pois sou fã do Mouse on Mars desde 1994 quando eles lançaram o primeiro álbum "Vulvaland". Até hoje são pelo menos dez cds, sendo que o mais recente saiu no ano passado "Vancharz".
A dupla de Dusseldorf formada por Andi Toma e Jan St. Werner sempre bebeu na fonte dos admiráveis alemães do krautrock como Can, Neu!, Kluster e até mesmo Kraftwerk.
Já por sua vez Mark E Smith é outro pioneiro e cultuada figura desde os primórdios do punk britânico em 1977.
O Fall é de Manchester e já conta com uma discografia de pelo menos 50 álbuns oficiais incluindo discos de estúdio e álbuns gravados ao vivo, sem contar uma infinidade de coletaneas e até a mais famosa caixa de Peel Sessions.
Uma qualidade do The Fall é não lançar disco ruim, os dois mais recentes comprovam isso, é só ouvir o disco de 2005 "Fall Heads Roll" e o mais recente "Reformation Post TLC".
Não é à toa que o The Fall era a banda favorita do fabuloso DJ "John Peel".
Esse encontro dos integrantes do Mouse on Mars com Mark E Smith é uma das coisas mais inusitadas desse ano.
O resultado é um disco dançante e enlouquecido onde Mark E Smith se revela até como um MC e rapper, mergulhando em batidas disco music, misturando dub e toda parafernália de ritimos eletronicos criados pelo Mouse on Mars.
Antes do álbum"Tromatic Reflexxions" lançado esta semana na Inglaterra, o Van Sudenfed lançou um 12" remix da faixa "Fiedermaus Can´t Get It", que dá pra ver o clip no myspace, com os tres vestidos de Drag Queen.
http://www.myspace.com/vonsudenfed
Uma coisa que os caras do Mouse on Mars e o Mark E Smith deixaram bem claro é que esse é apenas um projeto paralelo e não significa que seja uma banda pra ficar.
Independente disso o Fall continua e o Mouse on Mars também, Von Sudenfed é apenas um disco repleto de batidas dançantes pra animar as pistas mais alternativas do planeta.

15 maio 2007

PLAN B MAGAZINE






















Artrocker representa o lado mais indie pop da nova cena britânica, a revista Plan B pode ser considerada a mais alternativa das revistas britanicas.
Idealizada pelo jornalista Everett True, ex-editor do jornal ingês Melody Maker, a revista existe há quase três anos.
Acima algumas bandas que já foram capa da Plan B, incluindo nosso CSS, que também já foi capa da Artrocker e de uma porrada de outras revistas.
A nova edição da Plan B, traz na capa os novaiorquinos do Battles. Se voce procura uma revista séria e inteligente certamente a Plan B vai suprir a necessidade de uma critica mais apurada e vanguardista.
A Plan B também não chega em nossas bancas, mas da mesma forma pode ser comprada nas lojas alternativas:

ARTROCKER MAGAZINE

Uma das melhores publicações britânicas do rock alternativo, começaram há uns tres anos atrás como um fanzine e no segundo ano já viraram uma revista.
As edições são quinzenais, e essa nova traz o Shit Disco na capa, foto acima.
O mais legal é que eles mantém o mesmo estilo indie sempre dando força pras novas bandas.
Alguns dizem que a Artrocker é tudo aquilo que o NME deixou de ser, pois de uns anos pra cá o jornal inglês está dividido entre o mainstream e o alternativo.
Assim como o NME periodicamente a Artrocker encarta CDs, nesse caso apenas com bandas iniciantes.
Infelizmente a Artrocker não chega nas bancas brasileiras, mas pode ser comprada pelo site ou em lojas alternativas inglesas por menos de 2 libras.
Entrem no site e vejam quanta coisa interessante pra quem se amarra em novidades
http://www.artrocker.com/

14 maio 2007

FOALS & SHIT DISCO

Duas novas bandas que seguem a trilha deixada por bandas como The Young Kives e !Forward Russia!.
O Foals é um quinteto ingles formado em 2005, este ano eles lançaram um LP ao vivo em edição limitada pelo selo Transgressive.
Em abril lançaram um single excelente chamado "Hummer".
É dificil definir o som do Foals, pois eles fazem parte dessa nova geração como Blood Red Shoes, Hot Club de Paris e Battles, seria digamos um passo à frente da geração influenciada pelo pós punk como o citado Young Knives.
http://www.myspace.com/foals



Da mesma forma o Shit Disco representa de uma maneira mais dançante essa nova geração.
A banda é um quarteto formado em Glasgow em 2005 e lembra Rapture, Klaxons e tem influencias de Daft Punk.
Algumas músicas evocam a disco music, não sómente no nome mas um dos hits da banda é a música "Disco Blood".
O novo single do Shit Disco chama-se "OK" e voce pode ouvir no
http://www.myspace.com/shitdisco
Acima capa do álbum de estréia do Shit Disco "Kingdom of Fear", que alguns criticos a definem como uma "dance-punk-funk party band.
Realmente a banda agrega elementos do punk funk de George Clinton (Funkadelic e Parliament) assim como a disco music do final dos anos setenta.
O selo que está lançando o Shit Disco é o Fierce Panda, outra das mais respeitáveis gravadoras independentes inglesas.

10 maio 2007

Maps - A Sunny Day in Glasgow - Battles

São três bons discos de bandas estreantes neste mês de maio. A primeira é britanica e chama-se Maps, faz parte dessa gerção pós My Boody Valentine e Shoegazers.
Eles apareceram no ano passado com dois aclamados singles "The Gathering" e "Lost My Soul" ( este último entrou na lista dos melhores singles de 2006 pelo NME).
Muita gente anda comparando o som do Maps com o Spiritualized, o que faz sentido pois certas músicas tem a mesma construção musical e o clima das composições da banda de Jason Pierce.
Na verdade o Maps é obra de um único músico, seu nome é James Chapman e esse disco foi gravado em seu estúdio caseiro de 16 canais.
Para as apresentações ao vivo James trabalha com mais 3 músicos.
James Chapman e seu Maps assinou no início deste ano com o selo Mute Records e lança agora seu álbum de estréia "We Can Create", um disco descrito por alguns criticos como um electro indie pop. Talvez exista um certo exagero no rótulo electro, pois vejo a banda muito mais como algo experimental, até com influências de post rock. Às vezes me lembram Boards of Canada e Slowdive, mas pra variar tem muito de Kraftwerk.
O Maps tem tudo pra ser o Hot Chip de 2007, pra agradar fãs de New Order,Dntel, Postal Service e até mesmo Death Cab for Cuttie, tal a essência pop desse grande disco.
http://www.myspace.com/mapsmusic


Ainda na praia da geração pós My Bloody Valentine encontraremos uma galera da Philadelphia/USA fazendo um som extremamente influenciado pelas guitarras de Kevin Shields.
A primeira coisa que me chamou a atenção foi o nome "A Sunny Day in Glasgow", claro que você logo imagina uma banda escocesa, mas assim como "I´m From Barcelona" é um grupo de suecos, os caras do Sunny Day in Glasgow são americanos, apenas uma daquelas "pegadinhas" pra confundir o ouvinte.
O melhor de tudo é que o som deles é a grande surpresa de 2007, uma das coisas mais maravilhosas que ouvi este ano, um disco repleto de "loopings" sonoros e melodias deliciosas.
É como se eu voltasse nos tempos de bandas como My Bloody Valentine, Seefeel, Boards of Canada, His Name is Alive e Adventures In Stereo.
No ano passado a banda lançou seu primeiro EP "The Sunniest Day Ever", que foi bastante executado pelas college radio americanas.
Agora eles lançam esse discaço de estréia "Scribble Mural Comic Journal"
http://www.myspace.com/sunnydayinglasgow




O Battles é uma banda americana de NY e uma das maiores supresas deste ano de 2007, com certeza o álbum "Mirrored" entrará na lista dos melhores do ano.
No ano passado a banda lançou um cd duplo chamado "EPC/BEP, que chamou bastante a atenção da crítica, mas confundiu um pouco os indies ingleses que já tinham uma banda britanica com o mesmo nome "Battle" que grava no selo Transgressive.
Os novaiorquinos resolveram então pra diferenciar da banda indie inglesa colocar um "s" no final, deixando o nome no plural.
Infelizmente o Battle britanico não conseguiu muito êxito com a crítica e o Battles americano reaparece em 2007 com uma das músicas mais intrigantes dos últimos tempos "Atlas", uma variação de música eletronica com rock, uma bateria marcante e o melhor e mais original um vocal em rotação acelerada, dando um ar futurista pra música. "Atlas" é séria candidata pra single de 2007, mas ainda é cedo pra apostar nisso.
Com certeza essa será a grande aposta do selo Warp Records, a gravadora inglesa de Sheffield que tem no seu cast gente como Maximo Park e Grizzly Bear e no passado já lançou Aphex Twin, Autechre,Broadcast,Squarepusher e Nightmares on Wax, dentre outros.
http://www.myspace.com/battlestheband

08 maio 2007

OITO NOVAS BANDAS

CAJUN DANCE PARTYQuinteto do norte de Londres e uma das mais jovens bandas da nova geração a média de idade é de 16/18 anos.
O que me surpreende é a musicalidade dessas crianças e a formação musical, imaginem só, eles gostam de Beatles, Stones, Bob Dylan e Simon & Garfunkel. Isso é uma raridade nos dias de hoje quando a maioria dos jovens se inspiram em metal e hardcore pra fazer emocore (aaaaargh!!!)
O primeiro single deles é esse da foto "The Next Untouchable" uma música maravilhosa que começa com um riff de guitarra tirado de "How Soon Is Now" dos Smiths, confira no myspace deles
http://www.myspace.com/cajundanceparty

THE STALKERS
Outro quinteto estreante, mas dessa vez vindos do Brooklyn/NY e fazem um som de rock and roll básico inspirado em Stones, Slade,Alice Copper, NY Dolls, Damned e Heartbreakers.
Uma fórmula digamos manjada, mas quando bem feita pode dar bons resultados.
O primeiro single "Let´s Get It Together" é um bom exemplo, o álbum de estréia "Yesterday Is no Tomorrow" sai nos EUA dia 10 de maio.
Dá uma ouvida no som deles, vale a pena pois o rock and roll não morreu, como diz Oswaldo Vecchione do fabuloso Made In Brazil.
http://www.myspace.com/stalkers

MUMM-RA


Esses são britânicos e este é o quarto single da banda, uma música incrível chamada "She´s Got You High" que me faz lembrar os bons tempos de bandas da decada de 90 como Housemartins e The La´s.

http://www.myspace.com/mummra

HELP SHE CAN´T SWIM




A banda é inglesa e grava no selo Fantastic Plastic, a mesma gravadora que lançou Guillemots.
Na verdade o Help She Can´t Swin existe desde 2004, já lançaram uma série de singles e um álbum em edição limitada em outubro de 2004.
Agora está saindo o segundo disco deles "The Death Of Nightlife", com um punhado de boas influencias (Slits, Siouxsie e The Fall)
http://www.myspace.com/helpshecantswim



GOODBOOKS
Se o Editors foi uma grata surpresa há dois anos atrás, o GoodBooks com certeza será mais uma este ano.
O quarteto ingles começou gravando pelo cultuado selo Transgressive Records e imediatamente foi contratado pela Columbia Records. No ano passado lançaram um single sensacional chamado "Leni" e agora lançam "The Illness", outro excelente single.
Diferente do Editors o Good Books bebe muito na fonte de bandas como os escoceses do Orange Juice,Cure e Talking Heads.
http://www.myspace.com/goodbooks


STRANGE IDOLS

Um simpático quinteto londrino com uma vocalista chamada Launette, descritos pela revista
Music Week como uma mistura de Stereolab, Saint Etienne,Primitives e Darling Buds. Por enquanto apenas dois singles lançados, e esse novo "She´s Gonna Let You Down Again" é uma daquelas delícias que lembram músicas de "girl groups" como Ronettes e Shangri-Las.
http://www.myspace.com/strangeidols




PULL TIGER TAIL
Mais um trio de garotos londrinos injetando inteligencia no novo pop britânico, esse é o segundo single deles e se continuarem nesse nível de composições com certeza vão dar o que falar esse ano.
No profile deles do myspace eles citam apenas uma influencia: Alanis Morrissette, fala sério!
Brincadeira dos caras, pois o som deles tá mais pra XTC do que pra Sra. Alanis.
http://www.myspace.com/pulltigertail





HAVANA GUNS

Outro promissor quinteto londrino, herdeiros da geração The Jesus and Mary Chain, Velvet Underground,Blondie e dos atuais Raveonettes e The Kills.
Apenas dois singles até agora e bastante recomendados por lojas como Rough Trade, Norman Records e Piccadilly Records .
http://www.myspace.com/havanaguns

THIS IS POP?


O nome dessa postagem eu tirei de uma música do XTC lançada em 1978, que fez parte do primeiro álbum da banda chamado "White Music".
(acima a capa do single do XTC "This Is Pop?")

Na minha opinião o XTC é uma das melhores e mais criativas bandas do pop inglês do final da década de 70 até os dias de hoje.

Uma fonte de inspiração pra uma porrada de novas bandas que aparecem a cada dia na cena britânica.

THE ENEMY

O trio The Enemy é de Coventry/UK, e cita como uma de suas influencias o XTC, mas tem muito de Jam, Clash,Kinks,Who e Specials.

A energia dos três garotos me faz lembrar o The Jam quando começou em seus dois primeiros álbuns, os incendiários "In The City"(1977) e "This Is The Modern World"(1977).

Mas vamos com calma, os meninos lançaram apenas três singles até agora, porém o que eles mostraram já é o sufiente pra se acreditar que eles podem surpreender com um dos melhores álbuns de 2007.

Só que ainda é cedo pra apostar nisso, o The Enemy lança mais um single em junho e quem sabe em julho soltem o tão aguardado álbum.

O segundo single "It´s Not OK" lançado no inicio deste ano foi uma surpresa pra muita gente, encontrar três garotos na faixa dos 18 anos de idade tão bem informados e fazendo letras com um conteúdo político e vindos da classe trabalhadora britânica.

Com todo esse talento o The Enemy conseguiu até fazer com que o extinto e lendário selo "Stiff Records" voltasse à ativa.

O selo "Stiff" foi fundado em em 1976 em Londres e lançou muita gente importante, dentre eles

Elvis Costello, The Damned, Ian Dury,The Pogues e Nick Lowe.

O primeiro single da geração punk inglesa foi "New Rose" do The Damned, lançado pela Stiff Records em 1976.

Na história do punk e da new wave a Stiff acabou se tornando um dos selos mais cultuados do rock britanico, e sómente o fato dos caras reativarem o selo lançando em edição especial em vinil de 7 polegadas os três primeiros singles do The Enemy foi um bom motivo pra que eu prestasse mais atenção na banda.

No lado "B" do novo compacto em vinil chamado "Away From Here" a banda incluiu uma cover de "A Message to You Rudy" do The Specials e com a participação de "Neville Staples" (ex integrante do Specials).

Este mês eles estão abrindo os shows da turnê do Manic Street Preachers pela Inglaterra, agora é só desejar boa sorte pros caras, porque o futuro deles já tá encaminhado.